• Patrícia e Rafaela

CRÍTICA DOCUMENTÁRIO - Ligue Djá: O Lendário Walter Mercado

A biografia documental de uma figura icônica como Walter Mercado, sem dúvidas, teria que trazer várias camadas, explorar nuances e buscar o ar nostálgico que marcou a vida de tantas pessoas. A produção Netflix consegue cumprir com esse papel, e teve êxito ao retratar a vida do lendário astrólogo, embora cometa algumas falhas. Conectado com os dias atuais, o documentário de Cristina Costantini e Kareem Tabsch, traz a história do ícone popular da América Latina e Estados Unidos, e os caminhos de sua trajetória.

A forma de contar a história não é propriamente nova, temos entrevistas e imagens que remetem ao seu passado, imagens de cobertura dos períodos retratados e do hoje, do senhor porto-riquenho Mercado em sua casa ainda com roupas espalhafatosas, ou melhor, seus mantos. Também vemos a presença de artes coloridas, animação que encaixa perfeitamente no contar da história. Mas, o interessante aqui é o tom de voz/elementos quando traz a discussão de sua feminilidade na forma de agir, os preconceitos vividos e como retrata a velhice vivida ali.


Não sei se podemos chamar de fato de falhas, mas talvez seja meus sentimentos envolvidos, mas em nenhum momento a narrativa se pergunta se os programas de Mercado se tratavam de um show/espetáculo, digo, considerando que trabalhou por um bom tempo como ator, essa astrologia era de fato astrologia, ou passava de um show?! Dito algo falho, vamos para algo bom: a abordagem quanto ao Bill Pakula, gerente do guru latino, que explorou e lucrou em cima de uma figura tão popular e inocente.


Retratar sua história é importante por vários motivos, começando pela aceitação do diferente, ele representava força para milhares de pessoas, também, sempre trazia boas mensagens e propagava otimismo e amor. É bonita a homenagem que o documentário proporciona, toca de forma bonita e sensível o avançar da idade, assim como a despedida prematura da televisão.


Com muita sensibilidade vemos o personagem, dessa vez, atrás das câmeras de um jeito mais real e genuíno possível. Veio a falecer em novembro do ano passado, em San Juan, deixando uma legião de fãs e pessoas que lembram da figura com muito carinho. Essa frase é dita por muitos fãs: "Walter costumava ser uma estrela, mas agora Walter é uma constelação"..


A mensagem mais bonita que fica e, talvez seja o motivo de indicação desse documentário, é que o próprio Walter Mercado acreditava no que dizia, no que propagava, trazia um compromisso claro com a felicidade, assim como o pensamento de que somos donos de nosso próprio destino. Em tempos tão duros, com tanto ódio, seja astrologia de fato ou não, como foi construído o império, e as falhas na produção em não tocar a questão da sexualidade em si, se tornam pequenas, pois de fato, como foi bom ter passado pela experiência de assistir essa homenagem.


“Mucho Mucho Amor”


Patrícia L.


19 visualizações

@2018 Sétima Sala - Todos os direitos reservados

  • Facebook - Círculo Branco
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram