• Patrícia e Rafaela

DIA DAS MÃES: 10 filmes sobre maternidade

Atualizado: Mai 30

Feliz dia das mães!


E para comemorar, celebrar, pensar esse dia, não poderíamos deixar de compartilhar a nossa lista de sugestões de filmes sobre maternidade.


Falar em maternidade é um universo tão amplo, tendo sido retratado para as telinhas de cinema tantas vezes, que com certeza existem muitos filmes incríveis que ficaram de fora, sinta-se a vontade para deixar suas indicações nos comentários.


Tentamos trazer retratações mais romantizadas e outras mais realistas, dentre dramas e comédias para te fazer rir e chorar, esperamos que gostem.


Mas vamos ao que interessa, 10 filmes sobre maternidade:



LADY BIRD


O premiado filme de Greta Gerwig, lançado em 2018, conta a história do amadurecimento, autodescoberta e auto aceitação de uma jovem com muita personalidade. Trata de forma leve e profunda do fim da adolescência. Porém, um dos aspectos mais interessantes do longa, é a complexa relação entre a moça (Saoirse Ronan) e sua mãe (Laurie Metcalf), que não encontram um lugar comum para diálogo visto que seus mundos são muito diferentes, o que não diminui a relevância que uma tem para o outra. Inclusive, uma das cenas mais lindas do filme é um diálogo entre as duas. Disponível no Prime Vídeo.

O QUE ESPERAR QUANDO VOCÊ ESTÁ ESPERANDO


Baseado no livro homônimo de não-ficção sobre todas as possíveis sensações e experiências pelas quais uma mãe pode passar durante sua gravidez, no filme, acompanhamos a história de 5 mulheres e suas gestações, os desafios e anseios para o futuro. Um filme leve e divertido que aborda adoção, as dúvidas na hora de se tornar mãe e pai, o sonho de engravidar e a gravidez repentina. Consegue entrelaçar suas história de forma convincente. Disponível no Telecine Play.

OLMO E A GAIVOTA


Com direção de Petra Costa e Lea Glob, em “Olmo e a gaivota” temos uma visão realista sobre a gravidez e as dificuldades enfrentadas pelo tratamento social conferido à mulher grávida. Olivia (Olivia Corsini se auto retratando) é uma atriz, que descobre sua gravidez em meio aos ensaios da peça “A gaivota” de Anton Tchekov. Diante de uma gravidez de risco, Olívia deve lidar com as frustrações e dificuldades de estar confinada em um apartamento sem elevador por nove meses, a ansiedade e aflição pelo risco da gravidez, enquanto lida com as mudanças em sua vida e seu corpo. Disponível na Netflix.

UM SONHO POSSÍVEL


Indicado na categoria de Melhor Filme no Oscar de 2010 e, premiado com Melhor Atriz para Sandra Bullock, “Um Sonho Possível”, narra a história de Michael Oher (Quinton Aaron), um jovem negro e obeso que não tem onde morar, já que sua mãe tem problemas com vícios. Por conta de sua afinidade com esportes, ele se aproxima da família de Leigh Anne Tuohy (Sandra Bullock) e é adotado. O filme trata de adoção, de superação e de relacionamento mãe e filho.

BAO


Produção da Disney e Pixar, o curta metragem “Bao” ganhou o Oscar de Melhor Animação em 2019. Conta a história de uma mulher sino-canadense que sofre com a Síndrome do Ninho Vazio após perder seu filho, no entanto, ganha uma segunda chance de ser mãe quando um dos seus bolinhos artesanais ganha vida. É lindo, mas prepare os lenços. Disponível no Telecine Play

PROJETO FLÓRIDA


O filme independente de Sean Baker nos transporta para a vida das pessoas que sobrevivem em motéis nos arredores do parque da Disney, tudo pelo olhos encantados de uma garota de seis anos. Em "Projeto Flórida" acompanhamos a vida de Moonee (Brooklynn Prince), que vive com sua mãe Halley (Bria Vinaite) no hotel Magic Castle. E ao ambientar o filme na vida das pessoas que vivem nesse local, apresentando várias histórias paralelas, temos muitos elementos para pensar várias formas de maternidade. Desde Halley, mãe solteira, jovem, que ama muito a filha e tenta de todas as formas sustentar as duas, até crianças que são criadas pela avó. Disponível no Prime Vídeo.

ROMA


Um filme de memórias, poético e belo, "Roma" retrata a história de Cleo (Yalitza Aparicio), empregada doméstica em uma casa de classe alta no bairro Roma que é localizado na cidade do México. E um dos méritos do longa, é ter realizado um brilhante cruzamento de gênero e classe, ao, enquanto conta as condições que se assemelham com escravidão de Cleo, contar também, a vida de mulheres que criam (ou perdem) seus filhos sozinhas e de homens que se sentem no direito de se eximir de qualquer responsabilidade sobre as crias. Disponível na Netflix.

O QUARTO DE JACK


Sob a perspectiva de Jack, o filme retrata a relação entre mãe e filho em terríveis circunstâncias. Jack (Jacob Tremblay) vive com sua mãe (Brie Larson) num quarto pequeno. Ela foi raptada, no final da adolescência e nunca mais viu a luz do dia, Jack nasceu ali e para suportar a situação, a mãe criou um universo onde as coisas parecem ser normais e de certa forma, felizes para o menino que não entende a gravidade da situação. Até que, ambos conseguem fugir, mas ainda, precisam se adaptar a sociedade.

PERFEITA É A MÃE


Ser uma mãe perfeita nos dias de hoje, de acordo com a maior parte da sociedade, é abdicar de vida pessoal e viver em função dos filhos, da casa, do lar. Em “Perfeita é a mãe”, vemos esse tema com boas doses de humor envolvido. Uma mulher (Mila Kunis), com bom casamento, filhos exemplares, ótimo emprego, acaba se vendo supersaturada com as funções domésticas. Ela se cansa e faz amizades com outras duas mulheres e passam a se libertar dos paradigmas que as cercam. Comédia bem feita e divertida, disponível na Netflix. E para quem gostar, o longa possuí uma sequencia que pode ser assistida no Prime Vídeo.

COMO NOSSOS PAIS


Um filme que trata dos papéis socialmente aceitos/definidos para mulheres, das imperfeições que carregamos, e sobre como está tudo bem as carregarmos. Dirigido por Laís Bodansky, conta a história de Rosa (Maria Ribeiro), recebe a notícia de sua mãe, uma mulher de personalidade forte, sobre um segredo escondido por anos, o que impacta a sua vida e relação com outras pessoas, incluindo em seu casamento falido, em seu trabalho e com suas filhas. De alguma forma, da mesma forma que Rosa recrimina erros de sua mãe, comete seus próprios erros com suas filhas e não há nada de errado nisso, como seres humanos não somos perfeitos e nem deveríamos ser. Disponível na Netflix.


Beijos, Patricia e Rafaela L.


30 visualizações

@2018 Sétima Sala - Todos os direitos reservados

  • Facebook - Círculo Branco
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram