• Patrícia e Rafaela

Sugestão da semana #7 GRAVIDADE

Escrito por Alfonso Cuarón (Filhos da esperança e Roma) em colaboração com seu filho Jonás, o desafio de retratar o espaço com certa fidelidade foi desenvolvido pelo diretor (Alfonso), que também co-produziu e co-editou o longa. Extremamente elogiado por seus aspectos técnicos, o roteiro, o desenvolvimento de personagens e os diálogos do filme de Cuarón, também não deixam a desejar.


Indicado ao Oscar em 10 categorias, perdeu o prêmio de Melhor Filme para “12 anos de escravidão”, tendo sido, porém, o filme com maior número de indicações e premiações, levando 7 estatuetas no Oscar 2014: Melhor Direção, Melhor Fotografia, Melhor Edição e Mixagem de Som, Melhor Trilha Sonora, Melhor Edição e Melhores Efeitos Especiais.

Em gravidade, acompanhamos os angustiantes momentos da vida da Dra. Ryan Stone (Sandra Bullock) e do astronauta veterano Matt Kowalski (George Clooney), quando em uma atividade extraveicular para realizar reparos no telescópio espacial Hubble, são atingidos por destroços decorrentes do abatimento realizado pelos Russos, de um de seus satélite desativados. A história narra, essencialmente, a tentativa de alcançar os módulos de escape de outras estações espaciais próximas, para retornar a terra.


É interessante que o nome do filme seja um retrato de sua história, ao longo da obra os personagens se encontram em gravidade zero, inclusive, os atores tiveram muito treino para se locomover em velocidade menor do que a fala, com certeza, um dos motivos para a indicação de Sandra Bullock ao prêmio de Melhor atriz no Oscar.


Importante ressaltar o brilhante trabalho desempenhado pelo antigo colaborador de Cuarón, o diretor de fotografia, Emmanuel Lubezki (Filhos da Esperança, A árvore da vida, Birdman, O Regresso). Desempenhando um trabalho em grande parte digital, foi responsável por uma das mais belas fotografias do espaço já retratadas pelo cinema, recebendo inclusive, elogio de astronautas pela semelhança com a realidade.


Relevante também, foi a criatividade da premiada equipe de efeitos especiais diante das limitações orçamentárias, a composição do som, bem como, da sua ausência para o retrato do espaço e o uso da trilha sonora para criar a tensão necessária.


Tais aspectos, tornam a obra de Cuarón uma importante ficção científica/Suspense e um dos melhores retratos cinematográficos do espaço. Para quem quiser assistir, o filme encontra-se disponível no serviço de streaming Netflix.


Beijos,

Rafaela L.


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo