• Patrícia e Rafaela

Sugestão da semana série #2 DOCTOR WHO

Conhecida por poucos no Brasil, Doctor Who possui uma pequena legião de fãs muito devotos. Considerada a série de ficção científica mais antiga ainda no ar, faz parte da cultura popular britânica, assistido até pela Rainha. Criada pela BBC em 1963, para ensinar história para crianças, a série atingiu patamares incríveis se tornando parte da cultura geek mundial.


Doctor Who, narra as aventuras de um@ alienígena e seus companheiros em viagens pelo tempo e pelo espaço. @ Doutor faz parte de uma espécie chamada Senhores do Tempo, os quais possuem a habilidade de quando perto da morte se regenerar. Nesse processo, el@ ganha uma nova aparência com uma nova personalidade. É como se fosse uma nova pessoa, mas ao mesmo tempo com a lembrança de todas que já foi um dia.


A personagem viaja pelo tempo e pelo espaço com companheiros, às vezes humanos, às vezes alienígenas, sempre em busca de aventuras e salvando pessoas por onde passa. Os companheiros muitas vezes representam a própria audiência e servem como uma forma de ressaltar aspectos positivos na humanidade.


El@ viaja com a TARDIS (Tempo e dimensão relativa no espaço), uma nave que possui um sistema camaleão, adquirindo o formato de um lugar ou objeto que combine com o ambiente. As Tardis, não são criadas, elas nascem e fazem parte dos mistérios dos Senhores do Tempo. Elas também são bem maiores por dentro do que por fora, causando algumas cenas hilárias ao longo do tempo.


Uma curiosidade, é que quando a série foi criada, ela possuía baixo orçamento. Inclusive, alguns cânones que tornaram a série tão icônica, foram criados apenas para que a série pudesse existir, a exemplo da Regeneração, que foi criada em 1966, quando o primeiro Doutor, William Hartnell, precisou deixar a série por motivos de saúde e foi necessário substituir o ator e do formato da Tardis, uma cabine de polícia que existia em Londres na década de 60. Já no primeiro episódio, @ Doutor conta que ao chegar na terra, o circuito camaleão da Tardis dele estragou, na verdade, esse artifício foi criado porque o orçamento da série não permitia que ficassem trocando o cenário a cada episódio e hoje, a cabine de policia faz parte da cultura pop no mundo inteiro.

Mas por que assistir uma série tão antiga, como assistir?


Bom, quanto a segunda pergunta, a série sofreu um hiato entre 1989 e 2005, assim, dividimos o show entre Era clássica e Era atual. Não é necessário assistir a clássica para entender a atual, na verdade, a cada nova regeneração é uma nova oportunidade para iniciar a série. Porém, para quem deseja conhecê-la, aconselho começar pela 1ª temporada da série atual, ou pela 5ª temporada ou pela 11ª temporada pois, além de começar uma nova regeneração corresponde às trocas de showrunner.


Sobre o porque assistir, poderia escrever páginas a fio, porém, falarei sobre os dois principais motivos para mim.


O primeiro é que como toda boa sci-fy a trama do alienígena no espaço e pelo tempo, é apenas um artifício para conhecermos um pouco mais de história, para trazer mensagens importantes aos problemas da época, e principalmente para falar de tolerância, respeito, diálogo, empatia e amor.


O segundo é a diversidade, em Doctor who, tem episódio de ação no espaço (Oxygen), tem episódio romântico (The girl in the fire place), tem episódio que te ensina história (Rosa), as vezes é triste (Vincent and the Doctor), as vezes é engraçado (The Doctor’s Wife), alguns te dão medo (Listen) e outros te fazem pensar (Extremis), tem histórias infantis (The Doctor the Widow and the Wardrobe) e outras muito adultas (Heaven sent), têm tramas complexas (Blink) e o principal, têm vilões sensacionais (Mestre, Daleks, Cyberman, Weeping angels, Silêncio e outros).

Enfim, já deu para perceber que essa série é a minha grande paixão, se dependesse de mim todo mundo assistiria e para quem gosta de fazer parte de um fandom agilizado, os Whovians estão entre os melhores. Outro aspecto legal é que a BBC costuma passar alguns episódios, em exibição simultânea nos cinemas do mundo todo, é sempre um grande evento, muito legal e emocionante.


Atualmente, a Doutora, primeira regeneração feminina, é interpretada pela Jodie Whittaker e os companheiros são Graham (Bradley Walsh), Yas (Mandip Gill) e Ryan (Tosin Cole). A série está em sua 12ª temporada e todas elas, da era atual, estão disponíveis na Globo play.


Espero que gostem!

#sugestãodasemanasérie


Beijos,

Rafaela L.

31 visualizações

@2018 Sétima Sala - Todos os direitos reservados

  • Facebook - Círculo Branco
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram