OSCAR 2020: A nova obra de Scorsese: O Irlandês

Eu sei que o fato do filme ter 3 horas e meia assusta, mas te garanto que vale a pena. Com 10 indicações ao Oscar 2020, dentre elas a categoria mais esperada: Melhor Filme, O Irlandês que é uma produção Netflix, é um filme para assistir com atenção dobrada, dentro dele, é possível vermos claramente dois filmes. Com o drama na quantidade certa, Martin Scorsese, diretor da obra, brinca de maneira inteligente com o roteiro assinado por Steven Zaillian, entre o humor, a crítica social e o suspense em hora certa. Na história, seguimos a trajetória de Frank Sheeran (Robert de Niro) já idoso relembrando dos tempos que trabalhava para a família Bufalino, liderada por Russel (Joe Pesci). Na sequência, ficamos sabendo de seu envolvimento com Jimmy Hoffa (Al Pacino) líder de sindicato, muito popular. E esse é um dos arcos mais importantes na narrativa, o desaparecimento do líder sindical que se tornou um dos casos mais emblemáticos dos EUA. Basicamente, fala sobre o crime organizado nos Estados Unidos no pós-guerra. Sabemos bem que um nome como Martin Scorsese faz barulho e pesa por si só, afinal o diretor é um dos responsáveis pelo auge da década de 70 com seu cinema sobre gângster. São quase 60 anos de trabalho... dessa vez retoma ao cinema em sua melhor fase, com um BAITA elenco, com um filmão e com A história. Sobre o elenco, falar de O irlandês e não falar da atuação de Alfredo James Pacino, o famoso, Al Pacino, não seria certo. Inclusive, está concorrendo como Ator Coadjuvante, ele traz para o longa metragem o contraponto necessário para a história. Enquanto que Robert de Niro ganha os carões e o silêncio em sua atuação. Partindo para a parte técnica, a fotografia é uma das minhas grandes paixões no longa, nos mostra um filme triste, que segue de certo forma a vida do protagonista. Mais uma indicação ao Oscar 2020, em fotografia. Além disso, é preciso falar sobre o trabalho do cinematógrafo mexicano Rodrigo Prieto por seus movimentos de travelling e planos estratégicos para a história. Com um desfecho inesperado, O Irlandês entra para a lista de filmes da carreira de Scorsese que valem a pena ser assistido. Ele também coloca a Netflix em um nível de produção alta assim como filmes Hollywoodianos feito por grandes estúdios. O mais interessante sobre o feito do filme é o fato de que Scorsese criou uma nova diretriz para o gênero, que é sempre retratado com muita violência e de ritmo rápido. O longa se propõe a ter um ritmo lento que busca mostrar algo que mesmo os mais rápidos sofrem: a perda e a tristeza em simplesmente seguir ordens. Sentimos medo, tensão, preocupação e por muitas vezes ódio, pela frieza do personagem. É um filme de reflexão, trata sobre amizade de um jeito duro. Vale a pena ser assistido! Beijos, Patrícia

@2018 Sétima Sala - Todos os direitos reservados

  • Facebook - Círculo Branco
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram